Turismo, Cultura, Esporte e Lazer

CBSurf Xangri-Lá Pro Surf

Publicado por Assessoria de Comunicação

23/11/2022 às 14:49 atualizado em 23/11/2022 às 14:47

A praia de Atlântida sediou na última semana a penúltima etapa do Circuito Profissional da Confederação Brasileira de Surf, CBSurf Xangri-Lá Pro Surf. Com um total de 161 surfistas inscritos 137 competidores para a categoria masculina e 24 para a categoria feminina. Estiveram entre eles o campeão mundial Adriano de Souza, a vice-campeã mundial Silvana Lima e mais dez surfistas da elite da Championship Tour. 

Os 137 inscritos na categoria masculina, de 12 estados do Brasil, foram divididos em duas rodadas de 24 baterias com quatro competidores. Os 48 mais bem colocados no ranking profissional da Confederação Brasileira de Surf, formam a lista dos principais cabeças de chave que só estrearão na segunda fase. Os outros 89 entram na rodada inicial, que vai abrir o CBSurf Xangri-lá Pro Surf na segunda-feira. Na categoria feminina, todas as 24 competidoras estão nas seis baterias da primeira fase.

O CBSurf Xangri-lá Pro Surf inaugura a reta final da temporada 2022. Depois da etapa do Rio Grande do Sul, só tem mais uma no Ceará para decidir os títulos brasileiros, com o campeão e a campeã recebendo um prêmio extra de 30.000 Reais da Confederação Brasileira de Surf. Outra disputa é pelas vagas para o milionário Dream Tour de 2023, o novo circuito da divisão principal que vai passar a apontar os campeões brasileiros. Serão classificados os 50 melhores do ranking masculino de 2022 e as 16 primeiras colocadas do feminino.

Em setembro, Xangri-lá recebeu os principais talentos da nova geração, na decisão dos títulos brasileiros das categorias de base do esporte. Alguns participantes do CBSurf Xangri-lá Pro Surf, já festejaram títulos brasileiros na Praia de Atlântida, como o paulista Ryan Kainalo campeão nas categorias Sub-16 e Sub-18, com o pernambucano Luan Ferreyra sendo vice-campeão nas duas. Tem também as catarinenses Kiany Hyakutake, campeã brasileira Sub-18 de 2022 e Alexia Monteiro, campeã na Sub-16 e vice-campeã na Sub-18.

Agora, voltam a Xangri-lá para competir com os melhores surfistas do país, na reta final da disputa pelos principais títulos brasileiros da temporada. O Circuito Profissional promovido pela nova diretoria da Confederação Brasileira de Surf, com Teco Padaratz na presidência e Paulo Moura como vice-presidente, oferece uma premiação histórica de 280.000 Reais em cada uma das seis etapas. Todas com o princípio da igualdade, com as mulheres ganhando o mesmo valor dos homens na mesma colocação.

As vitórias no CBSurf Xangri-lá Pro Surf, valem iguais 30.000 Reais para quem vencer a categoria masculina e a feminina e 10.000 pontos nos rankings. Além do importante reforço nos valores oferecidos para os surfistas em cada etapa, o campeão e a campeã brasileira de 2022, ganharão um prêmio extra de 30.000 Reais. Os títulos ficam para quem conseguir mais pontos, somando os cinco melhores resultados nas seis etapas do Circuito CBSurf Pro 2022.

Nós usamos cookies e coletamos algumas informações suas para poder personalizar sua experiência ao navegar em nosso site. Você pode ler nossas Políticas de Privacidade e de Cookies para mais informações.